.

Capela de Santa Cruz

quinta-feira, junho 11, 2009

thumb A Capela de Santa Cruz, situada nas traseiras do Paço dos Duques na Colina Sagrada, foi construída no séc. XVII, é um excelente exemplar da arquitectura rural seiscentista. De nave única, tem antes da sua entrada um alpendre  quadrangular sustentado por pilares . O seu portal é simples e de verga recta.
Na lateral esquerda ergue-se um campanário e o espaço interior é ornado por um lambril de azulejos seiscentistas, da família das Camélias.
O cruzeiro que se ergue no seu adro data de 1640.

 

Read On 1 comentários

Igreja de São Miguel do Castelo

quinta-feira, junho 11, 2009

thumb A Igreja de São Miguel do Castelo, também apelidada de Capela situa-se no monte Latito ou da Falperra, mais conhecido por Colina Sagrada. Reza a lenda que foi nesta igreja que foi baptizado D. Afonso Henriques, o primeiro Rei de Portugal. Presume-se que terá sida mandada construir por D. Henrique aquando da construção do seu Paço, mas as primeiras referência que existem a esta igreja datam de 1216 e depois em 1239, ano em que foi consagrada pelo Primaz de Braga Silvestre Godinho.
Pelo facto de ter deixado de ser utilizada, entrou em ruínas, e recebeu as primeiras obras de restauro entre 1874 e 1880, mas ficou algo desvirtuada, e por volta de 1930 recebeu nova intervenção que lhe restaurou o cariz romântico.
A "capela" de São Miguel situa-se a pouca distância do Castelo de Guimarães e do Paço dos Duques, que todos em conjunto fazem um conjunto de importante valor histórico e simbólico. Uma igreja de prospecto simples e despojado, apresenta uma frontaria de empena e fachadas laterais percorridas por modilhões lisos. O portal de duas arquivoltas apresenta um tímpano liso, e as duas portas são ainda mais modestas, sem arquivolta ou decorações.
A "capela" tem seis frestas para iluminação, uma na frente e outra no fundo e duas de cada lado, que fazem do interior um lugar sombrio e místico. À entrada do lado esquerdo, encontra-mos a pia baptismal. O arco triunfal é envolvido por um friso com duas fitas entrelaçadas. As lajes do pavimento são estelas funerárias decoradas. Nas paredes, frente-a-frente sobre duas mísulas de granito está a imagem de S. Miguel em madeira de castanho policromada, do século XIII OU XIV. A outra imagem, mais recente, representa a Virgem com o Menino, em calcário policromado do séc. XVII.
Sem dúvida que é um lugar a não perder a visita, pois faz parte da história de Portugal e complementa as visitas ao Castelo e Paço dos Duques.

Read On 0 comentários

Castelo de Guimarães

quarta-feira, maio 20, 2009

thumb Nos primórdios da séc.X, a Condessa Mumadona Dias mandou edificar um convento, para passar o seu período de luto pela morte de seu marido Hermenegildo Gonçalves, na herdade de Vimaranes, que lhe pertencia. Esse convento, o Mosteiro de Santa Maria de Guimarães, era uma instituição mista, que albergava frades e freiras, era constantemente atacado pelos "gentios" (normandos que atacaram a costa portuguesa nesta época), e Mumadona Dias sentiu a necessidade de mandar construir uma fortaleza para sua guarda. Foi assim que surgiu o primeiro castelo que há relatos para defesa e protecção de um mosteiro.
Já no séc. XII, com a formação do condado Portucalense, após o rei Afonso VI de Leão ter doado estas terras ao D. Henrique pelos serviços militares prestados na luta contra os árabes,juntamente com sua esposa, D. Teresa de Leão mandam realizar grandes obras de melhoramentos no castelo, de modo a que fique maior e mais forte, nomeadamente a construção da Torre de Menagem. Segundo a história, foi no castelo que os condes fixaram residência, e onde nasceu D. Afonso Henriques. Foi também neste castelo que D. Afonso Henriques, depois de decidir defender a sua independência, aos ataques do Rei Afonso VII de Leão em 1127, e no ano seguinte no campo de S. Mamede, as forças de sua mãe D. Teresa.
O Castelo manteve uma grande importância na defesa do território, pois ao longo de vários séculos segurou as investidas de Castela contra Portugal. Recebeu depois em 1389 obras de reforço defensivo da cidade, no reinado de D. João I após mais um confronto com Castela, nessa altura a cidade passou a designar-se Guimarães.
Devido aos progressos, as muralhas e castelos perderam importância no séc. XVI, e o castelo passou a funcionar como prisão, e foi mesmo devido a esta utilização, que em 1836 um grupo de Vimaranenses pediu a sua demolição, que não foi aceite, pois o mesmo imóvel era já desde o reinado D. Luís, em 1881, considerado Monumento Histórico de Primeira Classe, hoje Monumento Nacional.
A partir daqui, devido à inutilização, o castelo entrou em degradação progressiva, e foi restaurado no início do séc. XX.
O castelo apresenta uma planta em forma de escudo, e as suas muralhas são reforçadas por quatro torres e rasgadas por portas. Na parte oeste do castelo, uma ponte de madeira faz a ligação entre o adrave e a torre de menagem. Esse adrave é acedido pelas escadas das torres, e percorre todo o castelo. Ainda são visíveis ruínas do séc. XIV da alcáçova (zona em cota mais elevada e mais protegida dentro de um castelo) com dois pavimentos, janelas exteriores e duas chaminés.
O portão principal, a oeste, tem nas suas laterais dois torrões, e outros dois estão do lado oposto junto da porta da traição. A Torre de Menagem, ao centro da praça de armas, apresenta planta quadrangular, com poucas aberturas assinalando os pavimentos, ligados internamente por escada de madeira e de pedra. Um muro da fortaleza largo e contínuo permite a circulação e a observação no topo da torre.
Em 2007 foi eleito informalmente como uma das Sete maravilhas de Portugal.

Read On 2 comentários

Rua de Santa Maria

segunda-feira, maio 18, 2009

thumb Rua de Santa Maria, de origem medieval, foi uma das primeiras ruas abertas em Guimarães, e foi durante séculos a rua mais importante da cidade, e por esse mesmo motivo, era o local de eleição da elite para instalar as suas residências.
Destinava-se, nos seus primeiros tempos a ligar o convento fundado por Mumadona Dias, na parte baixa da cidade, ao castelo que se encontrava no alto da cidade.
Existem documentos datados do séc. XII que já falam da rua de Santa Maria, mas com a parte superior da rua a ser indicada como rua da infesta. Ao longo de toda a rua, encontram-se vários edifícios medievais, que lhe trazem o carisma e identidade. São eles, por exemplo o Convento de Santa Clara (actual Câmara Municipal), a Casa dos Peixotos, a Casa do Arco ou a Casa Gótica dos Valadares.
A designação toponímica da rua, surge da adoração ancestral à Virgem Maria, e por isso mesmo esta artéria está intimamente ligada à igreja da Oliveira.
Actualmente, liga a Praça da Oliveira ao Largo do Carmo, e nela estão instaladas várias valências, como a pousada, vários bares, restaurantes, lojas de artesanato, biblioteca, entre muitos outros, mais uma espaço de Guimarães que merece a visita...

Read On 0 comentários

Praça de S. Tiago

domingo, maio 17, 2009

stiago Hoje em dia é o local do expoente máximo de recreio e convívio da noite Vimaranense, mas foi outrora local de grande comércio e culto.

Diz-se que o nome desta praça, apareceu, depois do apóstolo S. Tiago trazer para um templo pagão que existia neste lugar uma imagem da Virgem Santa Maria. Foi depois edificada, pelo séc. XVII uma capela alpendrada dedicada a Santiago, que nos finais do séc. XIX foi demolida.O seu adro assumiu a função de rossio da vila, e passou a fazer parte dos bens municipais. Praça de peixe, onde os seus comerciantes pagavam o foro (aluguer) à igreja cujo abade era na altura o Mestre-Escola da Colegiada de Guimarães.

No início da década de 90, uma intervenção urbanística restituiu-lhe a fisionomia medieval seis-setecentista. Se analisarmos o desenho da praça, observamos o traço medieval, com os seus arruamentos ondulados, e visto na perfeição no lado norte com as casas estreitas de três andares. E a tendência geometricamente octogonal do traço moderno e barroco, que a partir da Casa da Câmara (antigos Paços do Concelho) coordena a frente sul e nascente.

Um local com muito para explorar, e onde se podem admirar as fachadas medievais, numa das várias esplanadas que podemos encontrar, e onde podemos fazer qualquer refeição ou pausa.

Read On 2 comentários

A Praça do Padrão da Vitória

sexta-feira, maio 15, 2009

oliveira Das muitas praças (local de recreio e festejos dos povos) que tem Guimarães, a que mais desperta a curiosidade de quem por cá passa é a Praça da Oliveira.

Situada em frente à igreja de Nossa Senhora da Oliveira, está plantada uma oliveira, a milagrosa oliveira. Segundo Fernando José Teixeira, ilustre autodidacta Vimaranense, a oliveira começa numa lenda da segunda metade do séc. VII, e terá vindo alguns séculos depois para junto da igreja românica de Santa Maria de Guimarães, mas definhou e morreu, por a terem retirado de junto do seu Santo Mártir. Esta oliveira esteve erguida durante vários anos sem sinais de vida, e miraculosamente reverdeceu após a construção de um cruzeiro, que mais tarde recebeu um alpendre. Esse cruzeiro era o Padrão da Senhora da Vitória.

O Padrão da Senhora da Vitória ou mais conhecido por Padrão do Salado, com uma cobertura gótica, mandado erigir por Dom Afonso IV para comemorar a vitória da Batalha do Salado. De planta quadrangular aberto, possui 4 arcos quebrados assentes em colunas com capitéis lavrados, encimados pelo escudo Real; no seu interior, cruzeiro representando Cristo Crucificado e a Virgem Mãe.

A Praça do Padrão da Vitória (como era conhecida a Praça da Oliveira), é ladrilhada de pedra, e recebeu inicialmente o nome de Praça Maior, pois era o sítio onde se tinha fundado o Burgo. A praça é fechada a nascente pela colegiada e até poente pelas casas habitacionais, todas com alpendres sobre colunas de pedra. De poente a norte, temos os Antigos Paços do Concelho, assentes sobre arcos de pedra, que dão passagem para outra das emblemáticas praças de Guimarães, a Praça de S. Tiago. Os Antigos Paços do Concelho com uma galeria de janelas com grades de ferro de encosto, tem no seu alto as ameias e o escudo de armas de Portugal.

Nos tempos que correm, já muitas alterações foram feitas na praça, e uma das casas habitacionais é agora uma excelente Pousada, que herdou o nome da igreja que lhe lhe aparece de frente na fachada. Algumas das lojas encontram-se hoje fechadas, onde já estiveram grandes nomes do comércio Vimaranense. Outras foram transformadas em bares e cafés, com excelentes esplanadas, espalhadas pela praça, que permitem explorar toda a beleza da mesma, enquanto nos deliciamos com um café ou um doce típico Vimaranense.

Mas por muitas palavras ou fotografias que se possam escrever ou mostrar, nada é mais satisfatório que conhecer esta belíssima praça, e todos os cantos e recantos…

Read On 1 comentários

Geminações Vimaranenses

sexta-feira, maio 15, 2009

gmrpm O município de Guimarães fez ao longo dos tempos geminações com cidades de vários pontos do mundo.

Um processo que teve início no século passado em Abril de 1987, com a geminação com o município Brasileiro de Londrina. Localizado ao norte do estado do Paraná, a 369 km da capital paranaense, Curitiba. Importante pólo de desenvolvimento regional, Londrina exerce  grande influência sobre todo o Paraná e região Sul. Com uma população estimada de 505.184 habitantes, é a segunda cidade mais populosa do Paraná e a terceira mais populosa da região Sul do Brasil.

250px-Londrinalago

Dois anos depois, em Junho de 1989, fez-se a ligação com o distrito Mé-Zochi na ilha de São Tomé em São Tomé e Príncipe. A sua sede é na vila de Trindade. Tem cerca de 42 mil habitantes e 122 km².

Mé-Zochi

Só na última década do último século, Guimarães foi fértil nas geminações, tendo criado relações com mais 4 municípios. Em Junho de 1993, a cidade francesa de Brive-la-Gaillarde foi a escolhida. Uma comunidade francesa no centro da França, sob administração do departamento Corrèze. É a cidade mais densamente povoada do Departamento e a segunda cidade da Região Limousin, antes Limoges. Os habitantes de Brive são Brivistas. A cidade é mais conhecida por Brive.

Brive-la-Gaillarde

Em Junho de 1995, foi a cidade Espanhola de Igualada que recebeu a estreita relação de uma geminação. Igualada é um município da Espanha na província de Barcelona, comunidade autónoma da Catalunha, de área 8,12 km² com população de 36923 habitantes e densidade populacional de 4230,17 hab/km².

igualada-740647

No final do ano de 1997, outra cidade Espanhola foi interligada com Guimarães, Tacoronte que é um município da Espanha na província de Santa Cruz de Tenerife, comunidade autónoma das Canárias, de área 30,09 km² com população de 22943 habitantes e densidade populacional de 725,37 hab/km².

costa-tacoronte-31

Mesmo antes de terminar o século XX, em Maio de 1999, foi Rio de Janeiro , capital do estado homônimo, é a segunda maior metrópole do Brasil, situada no Sudeste do país. Cidade brasileira mais conhecida no exterior e maior rota do turismo internacional no Brasil, a capital fluminense funciona como um "espelho", ou "retrato" nacional, seja positiva ou negativamente. A população estimada para o Rio de Janeiro é de 6.161.047 habitantes na cidade e 11.812.482 na região metropolitana, o que o torna a segunda maior aglomeração urbana do Brasil, terceira da América do Sul e 24ª do mundo.

riojaneiro

No virar do século, em Setembro de 2000, foi Kaiserslautern é uma cidade no sul do estado da Renânia-Palatinado na Alemanha. Kaiserslautern é uma cidade independente (Kreisfreie Städte) ou distrito urbano (Stadtkreis), ou seja, possui estatuto de distrito (kreis). Tem 100.000 habitantes e por volta de 38.000 adicionais cidadãos norte-americanos devido às grandes bases militares na região.

290px-Kaiserslautern_town_big

Em Junho do ano seguinte, Colônia do Sacramento (em castelhano Colonia del Sacramento) é uma cidade do Uruguai, capital do departamento de Colónia. Tem origem na antiga cidade de Colónia do Santíssimo Sacramento fundada há 329 anos por Manuel Lobo, a mando do Império Português no século XVII. A área onde localiza-se a fundação portuguesa, hoje faz parte do Centro Histórico, reconhecido pela UNESCO como Património da Humanidade. Foi a escolhida.

288px-ColoniaSacramento

Em 2006, foram duas cidades francesas a receber a ligação, Compiègne é uma cidade francesa do departamento de Oise, na região Picardia. A cidade está localizada à beira do rio Oise, e tem uma população de 41254 habitantes.

275px-Compiegne_from_the_UTC

Depois foi a vez de Tourcoing (Toerkonje em neerlandês) é uma cidade e comuna do norte da França, no départment do Nord, próximo às cidades de Lille e Roubaix e da fronteira com a Bélgica. Sua população em 1999 era de 94.204 habitantes.

tourcoing

A última geminação foi com o Município da Ribeira Grande de Santiago é um concelho/município da ilha de Santiago, em Cabo Verde. Com uma área de 164 km², e uma população de cerca de 11.000 habitantes, tem como sede a Vila da Ribeira Grande.

ribeiragrande

 

Mas afinal o que é uma geminação? Fica aqui uma breve explicação acerca deste assunto.

A geminação de cidades, é um conceito que tem como objectivo, criar relações e mecanismos protocolares, essencialmente em nível económico e cultural, através dos quais cidade(s) ou vila(s) de áreas geográficas ou políticas distintas, estabelecem laços de cooperação.

Na Europa, estas paridades são designadas por cidades gémeas ou geminadas, enquanto que no Brasil e nos Estados Unidos da América, se designa comummente "cidade irmã".

Geralmente, as cidades gémeas têm características semelhantes (demográfico, por exemplo) ou pontos e referências históricas comuns.

Este conceito assemelha-se à prática da correspondência na rede mundial, onde os amigos por correspondência são cidades ou vilas no seu conjunto. Estes acordos levam ao estabelecimento e intercâmbio cultural, partilha de conhecimento, ensino (estudantes) e políticas empresariais entre outras actividades.

Em alguns casos, divisões territoriais mais vastas fazem acordos semelhantes, como é o caso da província de Hainan na República Popular da China e Jeju na Coreia do Sul.

Read On 0 comentários

Reestruturação do Antigo Mercado

quinta-feira, maio 14, 2009

mercado Uma das metas para o Guimarães CEC 2012, é a reestruturação do antigo mercado municipal. Já muito se falou, ou especulou acerca deste espaço, mas a valência que vai ser instalada naquele área de destaque na cidade de Guimarães, quer pela sua área, quer pela sua localização.

De qualquer maneira, a valência que está na linha da frente para ocupar este espaço (para já) vazio da cidade é um pólo para o Museu de Alberto Sampaio e a Plataforma das Artes.

Ficam aqui algumas imagens do primeiro estudo que foi feito para a reestruturação/reconstrução do Antigo Mercado Municipal.

geral

pormenor1

pormenor2

pormenor3

 

O dossier de estudo completo, com a memória descritiva pode ser encontrado aqui (ficheiro pdf).

Read On 3 comentários

Guimarães - Capital Europeia da Cultura 2012

quarta-feira, maio 13, 2009

2012 A decisão encerra um processo de selecção iniciado há mais de dois anos, com os ministros da Cultura da União Europeia a adoptarem formalmente a recomendação.

A cidade de Guimarães foi oficialmente designada, esta tarde (12 Maio 2009), capital europeia da Cultura em 2012, em conjunto com a cidade eslovena de Maribor, durante uma reunião de ministros da Cultura da União Europeia, em Bruxelas.

Os ministros dos 27, entre os quais José António Pinto Ribeiro, adoptaram formalmente a recomendação elaborada, no final do ano passado, pelo painel de selecção europeu de avaliação das candidaturas, que confirmou o preenchimento de todos os requisitos por Guimarães e Maribor.

A decisão encerra um processo de selecção iniciado há mais de dois anos, tendo a candidatura de Guimarães sido lançada no final de 2006 pela então ministra da Cultura, Isabel Pires de Lima.

Portugal e Eslovénia tinham direito a apontar as duas cidades para 2012, tendo a escolha portuguesa recaído, em Outubro de 2006, em Guimarães, classificada pela UNESCO Património da Humanidade, enquanto a Eslovénia elegeu Maribor, a segunda principal localidade do país depois da capital Ljubljana.

A designação "Capital Europeia da Cultura", uma iniciativa da Grécia, foi aprovada pelo Conselho em 1985, com o objectivo de contribuir para a aproximação entre os povos europeus.

Lisboa, em 1994, e Porto, em 2001, neste caso em conjunto com a cidade holandesa de Roterdão, também já ostentaram o "título" de Capital Europeia da Cultura, este ano "nas mãos" de Linz (Áustria) e Vilnius (Lituânia).


Fonte: Jornal de Notícias

Read On 0 comentários

CEC 2012 custa 111 Milhões

quarta-feira, maio 13, 2009

2012 "A Capital Europeia da Cultura deve servir para converter Guimarães numa cidade criativa", defende Anabela Guimarães, programadora e gestora cultural.

Na opinião desta vimaranense, os agentes locais podem fazer toda a diferença. "Sem discutir o mérito e a capacidade da contratação de agentes, artistas e 231038empresas já com provas dadas (indispensáveis para este tipo de eventos), a perspectiva dos artistas e programadores que cá vivem é diferente porque sentem a pulsação da cidade, têm uma multiplicidade de olhares, têm muito mais possibilidade de potenciar as energias criativas que a própria cidade já tem", argumenta.

Defende uma comunicação que sensibilize os habitantes locais, têm uma grande quota de responsabilidade no sucesso da CEC. "Ninguém quer que o acontecimento seja apenas para promover a cidade lá fora. A cultura tem também a função de unir, de vincular as pessoas à sua comunidade local".

Com um orçamento de 111 milhões de euros, o projecto pretende mudar certas zonas da cidade, como a de Couros, antigo quarteirão de curtumes, para onde está projectado o CampUrbis, uma parceria entre a Câmara e a Universidade do Minho que abrirá caminho à expansão do Campus universitário para o centro da cidade. Um pólo para o Museu de Alberto Sampaio e a Plataforma das Artes (possivelmente no antigo mercado municipal).

Carlos Mesquita, presidente do Cineclube, espera que a CEC permita a "produção cinematográfica ficcional ou documental sobre Guimarães, sem se confundir com a lógica de telenovela". O cinema, adianta, deve ocupar parte significativa do esforço da CEC. "Espero que 2012 seja o ponto partida para Guimarães ter um evento de cinema, ficção ou documental, e que seja um tempo de reflexão sobre o cinema europeu", refere.

Se dependesse do presidente do maior cineclube português, a CEC 2012 contaria com "um realizador consagrado" para projectar a cidade, o país e o cinema europeu (e esse realizador até podia ser norte-americano, caso de Woody Allen), defende Carlos Mesquita. "Se fosse eu a escolher, seria Werner Herzog", sublinha. Uma das propostas do Cineclube de Guimarães passa por criar na cidade uma estrutura museológica que contemple também a cultura cinematográfica. "Se o Porto não tiver uma Cinemateca, que venha para Guimarães".

Fonte: Jornal de Notícias

Read On 1 comentários

Bemvindos | Wellcome

quarta-feira, maio 13, 2009
Este espaço será dedicado aos encantos da Cidade de Guimarães, Capital Europeia da Cultura em 2012. Guimarães, Cidade Berço de Portugal, é uma cidade cheia de história, de cantos e encantos, que deve ser visitada por todos. Brevemente teremos novas informações, notícias e discussões, esteja atento. This space will be devoted to the charms of the city of Guimarães, European Capital of Culture in 2012. Guimarães City, Cradle of Portugal, is a city full of history, places and charms, to be visited by all. Soon we will have new information, news and discussions, watch out.
Read On 1 comentários

Quem somos

A minha fotografia
I Love Guimarães
é uma marca criada para divulgar Guimarães ao mundo, através da divulgação do seu Património Histórico e Cultural.
Ver o meu perfil completo

Arquivo

Últimas Notícias


Tradutor

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish